BLOG

A EVOLUÇÃO DAS FORMAS DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA EMPRESAS

Publicado: maio, 2017

As empresas brasileiras em sua grande maioria costumeiramente captam recursos no limitado mercado bancário convencional devido a facilidade e maior adaptabilidade a suas condições operacionais, contábeis e até a limitação de sua forma de gestão de suas finanças, mas limitado a poucas opções de mercado, soluções que geram muitos controles internos na empresa, além de constantes renovações, tarifas, taxas e ainda a exposição ao risco de oscilações na política crédito e taxas dos bancos e as instabilidades do mercado

Aparentemente as opções de outras soluções advindas de fontes mais exigentes como por exemplo o mercado de capitais e investidores institucionais são pouco exploradas por uma importante gama do mercado, provavelmente por desconhecimento ou pelas formas de controles, governança e transparência, dentre outras coisas, que essas fontes costumeiramente exigem das empresas.

Certamente isso não seria barreira se as empresas avaliassem essas opções em sua totalidade de exigências, mas comparando com vantagens desse tipo de captação, como por exemplo, o volume de recursos que pode ser acessado, a possibilidade de estruturação e adequação de fluxos de pagamentos, alívio no volume de controles e operações internas pela gestão de contratos e operações diversas com bancos, além é óbvio da conquista de um status diferenciado no mercado, evolução sistemática de controles internos e governança e a própria divulgação positiva que alguns modelos operações propiciam ao tomador, por ser analisado e consequentemente ficar conhecido em outras dimensões do mercado financeiro.

Aos poucos, operações e negócios de M&A, captação via debêntures, CRI, CRA, securitização de contratos, etc tornam-se mais conhecidos no mercado e cada vez mais agentes se dispõe a levar esse acesso a empresas que costumeiramente não acessariam, além de alguns, já atuarem fortemente na preparação das empresas para que tenham a oportunidade de crescer ou mesmo reestruturar sua gestão de capital sem o pseudo trauma que aparentemente é hoje para grande parte do mercado o acesso a esse oceano de recursos e oportunidades.

Eroni Fernndes